Fundação Abrinq e Rede Estratégia ODS promovem ações no combate à mortalidade infantil no Maranhão

O governo do Maranhão formalizou, em abril deste ano, a adesão ao Projeto de Fortalecimento da Rede Estratégia ODS, coordenado pela Fundação Abrinq, em parceria com a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Agenda Pública e...

O governo do Maranhão formalizou, em abril deste ano, a adesão ao Projeto de Fortalecimento da Rede Estratégia ODS, coordenado pela Fundação Abrinq, em parceria com a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Agenda Pública e cofinanciado pela União Europeia. A integração à iniciativa permite um maior nível de cooperação entre os municípios do estado, o que viabiliza um conjunto de ações voltadas ao desenvolvimento dos instrumentos de planejamento municipais.

Por meio da parceria com o estado, a Fundação Abrinq mobilizou importante iniciativa para contribuir com a saúde dos municípios maranhenses. O Programa Mortalidade Zero iniciou em maio formações técnicas presenciais para profissionais da Saúde, agentes comunitários e membros do comitê de mortalidade infantil dos municípios de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar, Alcântara e São José do Ribamar, que compõem a região metropolitana da capital maranhense. O programa tem como objetivo atuar em conjunto com as cidades para zerar os óbitos infantis por causas evitáveis.

A pandemia da COVID-19 impactou diretamente o índice de mortalidade materna e infantil do estado do Maranhão. O percentual de mortalidade materna em 2019 era de 75%*. Com a pandemia, em 2020, este índice saltou para 94,3%. Já a taxa de óbitos infantis registrada foi de 13,7.

A taxa de mortalidade infantil é um indicador social representado pelo número de óbitos de crianças antes de completarem um ano de vida a cada 1.000 crianças nascidas vivas, no período de um ano. É um importante indicador da qualidade dos serviços de saúde, saneamento básico e educação de uma cidade, país ou região.

De acordo com a meta 3.2 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Brasil precisa até 2030 enfrentar as mortes evitáveis de recém-nascidos e crianças menores de 5 anos, com o objetivo de reduzir a taxa da mortalidade infantil para no máximo cinco por 1.000 nascidos vivos. Atualmente, a taxa nacional é de 12,4.

Além de promover ações intersetoriais para o combate à mortalidade infantil, o programa visa também aprimorar o atendimento da Atenção Primária às gestantes e aos bebês e conscientizar as mães, gestantes e a população em geral sobre temas relacionados a gravidez e o pós-parto.

Conheça mais sobre o Programa Mortalidade Zero